segunda-feira, 19 de março de 2018

Dia Internacional da Síndrome de Down






               O Dia foi escolhido pela organização Síndrome de Down Internacional, (http://www.worlddownsyndromeday.org/), em alusão aos três cromossomos no par de número 21, que as pessoas com síndrome de Down possuem.  Daí o dia 21/3 .
           
            O Brasil tem muitos avanços a comemorar e pode dar um belo exemplo ao resto do mundo. Entre eles o aumento do número de matrícula de crianças com Síndrome de Down incluídas na rede regular de ensino, junto com todas as outras crianças.
                                 O que é a Síndrome de Down?
             A Síndrome de Down é um evento genético natural e universal, estando presente em todas as raças e classes sociais. É a ocorrência genética mais comum, sendo registrada aproximadamente em 1 de cada 700 nascimentos. Não é uma doença e, portanto, as pessoas com Síndrome de Down não são doentes. Não é correto dizer que uma pessoa sofre de, é vítima de, padece ou é acometida por síndrome de Down. O correto seria dizer que a pessoa tem ou nasceu com síndrome de Down. A síndrome de Down também não é contagiosa. Por motivos ainda desconhecidos, durante o desenvolvimento das células do embrião são formados 47 cromossomos no lugar dos 46 que se formam normalmente. O material genético em excesso altera o desenvolvimento regular da criança. Este material extra se encontra localizado no par de cromossomos 21, daí o outro nome pelo qual é conhecida, Trissomia do 21. Para confirmar o diagnóstico de síndrome de Down é necessário fazer um exame genético, chamado cariótipo.
           Os efeitos do material genético adicional variam enormemente de indivíduo para indivíduo. Não há exames que determinem, no nascimento, como a pessoa vai se desenvolver. Para que ela tenha condições de atingir todo seu potencial é importante que seja encaminhada, ainda bebê, a profissionais habilitados para um programa de estimulação precoce.
          Como a maioria das mulheres que tem filhos é jovem, cerca de 80% das crianças com Síndrome de Down nascem de mulheres com menos de 35 anos. Mas a incidência da síndrome de Down entre mulheres mais velhas é maior. De cada 400 bebês nascidos de mães com mais de 35 anos, um tem Síndrome de Down.
Características – As três principais características da síndrome de Down são a hipotonia (flacidez muscular, o bebê é mais molinho), o comprometimento intelectual (a pessoa aprende mais devagar) e o fenótipo (aparência física). Alguns dos traços físicos são olhos amendoados, uma linha única na palma de uma ou das duas mãos, dedos curtinhos, entre outros. Mas apesar da aparência às vezes comum entre pessoas com Síndrome de Down, é preciso lembrar que o que caracteriza realmente o indivíduo é a sua carga genética familiar, que faz com que ele seja parecido com seus pais e irmãos.
Expectativa de vida – Devido aos avanços da medicina, que hoje trata os problemas médicos associados à síndrome com relativa facilidade, a expectativa de vida das pessoas com Síndrome de Down vem aumentando incrivelmente nos últimos anos. Para se ter uma idéia, enquanto em 1947 a expectativa de vida era entre 12 e 15 anos, em 1989, subiu para 50 anos. Atualmente, é cada vez mais comum pessoas com Síndrome de Down chegarem aos 60, 70 anos, ou seja, uma expectativa de vida muito parecida com a da população em geral. Recentemente faleceu em Anápolis, Goiás, a pessoa com síndrome de Down mais velha do mundo, Dilmar Teixeira.
Síndrome de Down hoje – Pessoas com Síndrome de Down têm apresentado avanços impressionantes e rompido muitas barreiras. Em todo o mundo, e também aqui no Brasil, há pessoas com síndrome de Down estudando, trabalhando, vivendo sozinhas, se casando e chegando à universidade. A melhor forma de combater o preconceito é através da informação e da inclusão de TODAS as pessoas, na família, na escola, no mercado de trabalho e na comunidade.


* Minha Formação : Sou Psicopedagoga Clinica  especialista em Deficiência Intelectual, Autismo,  formada pela PUCRS e pós graduada em Psicopedagogia e Supervisão e Orientação Escolar - Enfase na Inclusão. 
 Neste Blog escrevo sobre sentimentos que sempre estão indo e vindo e não poderia deixar de postar  algo sobre este dia  especial! Atuo no Ensino Público ( Institucional) e Atendimento particular ( Clínico )

terça-feira, 13 de março de 2018

Estrelas


Ela pediu, ele foi.
Esforçou-se, deu o seu melhor.
Subiu num alto monte, usou apetrechos diversos.
Cansou-se e quando já fatigado alcançou:
Pegou um punhado de estrelas, das mais brilhantes e lhe presenteou.
Ela sorriu feliz, satisfeita.
Tal era o entusiasmo que esqueceu de agradecer.
Tendo já realizado seu desejo, ele desceu devagar do monte.
O que ela não sabia: as estrelas fora do céu, apagam.

Cátia Netto


Tacitamente




Nas linhas colocava o que na voz não podia sair,

 A palavra disfarçava o que o coração não conseguia 
reverter,

Cartas que nunca mandou,

Poemas que nunca ofereceu.

Letras que tacitamente dedicou.


Por Cátia Netto





quarta-feira, 7 de março de 2018

Matiz



Vi tuas cores:
Laranja, cor de vida,
Verde, daquela esperança
Azul,  aquele teu.
Branco, da boa trégua..

Li teus sabores:
Menta que refresca
Curry que arde, 
Amargo, que corrige.
Fruta que adoça...

Percebi sensações:
Frio que gela,
Quentura que incendeia,
Lembrar que acende,
Estímulo que prende..

Constatei um nome:
O Teu, nunca meu.

Por Cátia Netto







terça-feira, 6 de março de 2018

Aquelas Coisas

Sobre minhas coisas e você

Tenho pouco:
um nome
teu sorriso
algumas palavras.

Tenho muito:
sentimento
desejo
várias esperas.

Tenho suficiente:
querer
saber
diversos anseios.

Por Cátia Netto

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Labiríntico





Indica o percurso, atalho pra se perder.
Flui acidez, disfarçando a doçura,
Ambiguidade de sentir

Mostra o relativo, deslizando o absoluto.
Flerta com controverso, brinda com direto,
brotando insensatez.

Eleva o pragmatismo, dançando com o subjetivo.
Nutre maturidade, escorrendo juventude,
Vertendo bom humor.


 Por Cátia Netto




quinta-feira, 18 de maio de 2017

Aparição



Eu aqui:

Vim pois não podia mais ,

ver sem olhar

pensar e não refletir


Não conseguia mais,

abraçar sem sentir

beijar sem tocar o coração

falar sem dizer

Insuportável era,

correr sem chegar

seguir rumo ao nada

mirar pro inexistente..

chegando em lugar nenhum.

Agora apenas, me olha com olhar de permissão.

vim aqui e só.

Por Cátia Netto